» mais
Gabriel Novis Neves
1bc7aa101267a8883474d6f60e3ebe22
Segunda, 08 de setembro de 2014, 11h16

Pedra no sapato

A frágil, mas não tanto, figura de Marina da Silva continua balançando, e muito, o cenário político nacional.
Quis a lei das probabilidades que a candidata à vice, atraída por compromissos diversos, não participasse do trágico voo que vitimaria seu colega de chapa Eduardo Campos, como vinha fazendo normalmente.

Dessa maneira, mais viva e mais atuante do que nunca, continua apoiada por seus vinte milhões de fieis eleitores, por enquanto.
Realmente, a mosca da política é algo incompreensível quando me deparo com uma personalidade discreta, porém, desde sempre entranhada na política, como a viúva de Eduardo Campos.

Suas recentes declarações realmente me assustam, como por exemplo: "agora terei que trabalhar por dois".
Como uma mulher, com menos de uma semana de viuvez, cinco filhos - sendo o último ainda bebê - consegue ânimo para continuar nessa desenfreada busca pelo poder?

Coisas que o meu ingênuo sentimentalismo e o meu baixo pragmatismo de um eterno romântico não consegue entender. Enfim, as pessoas são realmente muito diferentes.

Voltando a focar em Marina da Silva. Falta conferir se com a escolha do candidato a vice formou-se um cenário preocupante para os outros dois candidatos à corrida presidencial de 2014.

Não creio que o horário eleitoral gratuito modifique muito o quadro já existente, pois a grande maioria das pessoas desliga os seus televisores quando começa esse verdadeiro festival de horrores.

Já é suficiente o voto obrigatório para que nos sintamos oprimidos nos nossos desejos. Países civilizados não possuem essa prática. Vota quem quer, de acordo com as suas convicções.

Como vemos, continua a pedra no sapato que muito incomoda os desesperados competidores pelo poder.

Controvérsias à parte, ao que tudo indica, teremos uma das eleições mais disputadas de todos os tempos, mesmo tendo em vista os inúmeros currais eleitorais disseminados por essa pobre nação.  

Gabriel Novis Neves é mèdico em Cuiabá e ex-reitor da UFMT
MAIS COLUNAS DE: Gabriel Novis Neves

» ver todas

Busca



Enquete

Sobre taxação do agronegócio em MT, o que você sugere?

Não deve ser taxado e fica como está.
Muda o discurso e industrialize
Apenas fogo de palha. Logo se acertam.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 98431-3114