Artigos

Réquiem a Paulo Leite
Kleber Lima
Por um Mundo Melhor
Kharina Nogueira
Triste traste
Fernando Parracho
Injustiças na aposentadoria
Ruy Martins Altenfelder Silva
Ares da Arena
Francisco Faiad
» mais
Comentar           Imprimir
Política
Quinta, 09 de agosto de 2012, 09h27

Deputado espera que ´essência´ de lei seja mantida


O deputado estadual Zeca Viana (PDT) afirmou ontem (08) que não deve haver mudança na essência da lei sobre a pesca, aprovada recentemente pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Silval Barbosa. Em votação nesta quarta-feira (08), os deputados decidiram que a vigência da lei, que altera alguns pontos da Lei Estadual da Pesca (9.096/2009), fosse adiada e começasse a valer a partir de 5 de novembro.

"Daqui até lá vamos realizar audiências públicas para explicar melhor as alterações. E se porventura houver alguma mudança, não será na essência da lei, que visa preservar as espécies de peixes nos rios de Mato Grosso e não deixar que o turismo de pesca esportiva acabe", afirmou. O deputado voltou a alertar para o fato de que a pesca não fica proibida com a nova lei, apenas o transporte do pescado por pescadores não profissionais. E disse também que a grande maioria dos deputados é a favor das alterações, já que só houve um voto contrário à lei.

“O objetivo das alterações propostas é preservar o meio ambiente; muitas espécies estão desaparecendo dos nossos rios, não podemos esperar acabar para poder tomar uma decisão”, afirmou Viana.

“Há uma pressão da sociedade para que o governo exercite seu poder de fiscalização e faça valer a lei”, disse, por sua vez, o presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD).

No Plenário, Zeca Viana disse que “é dever de todos preservar as riquezas naturais e que isso depende de mudança de hábitos”. “A tradição do ribeirinho, dos moradores da baixada cuiabana de ir pescar, eu conheço. É bom deixar bem claro que isso não está proibido, a única coisa que não pode fazer é transportar o pescado, é mudar um pouco esse hábito por um futuro melhor”, disse o deputado.

Com a lei em vigor, estima-se que a pesca esportiva em Mato Grosso atraia mais de 50 mil turistas nos próximos três anos, segundo a Associação Mato-grossense de Ecologia e Pesca Esportiva (Amepesca).

Entenda as alterações na lei:
- O pescador amador deve pescar na modalidade do pesque-e-solte, não podendo fazer o transporte do pescado nos próximos três anos. O pescador amador pode também preparar o peixe para consumo próprio, na beira do rio. No quarto ano, a cota será de três quilos, e, a partir do quinto ano, será de cinco quilos por pescador.
- Suspende a emissão de novas licenças para pescadores profissionais.
- Fica proibido o abate e o transporte das espécies dourado (Salminus maxillosus) e piraíba (Brachyplathystoma filamentosum).
- Pescadores profissionais podem pescar até 100 kg por semana.
- O Conselho Estadual de Pesca (Cepesca) poderá ter autonomia para definir o tamanho mínimo e máximo de captura de cada espécie.
- Proíbe a pesca com anzol ou garateia “secos”. E a fiscalização pode ser feita por organizações não governamentais.
 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Os trilhos do VLT no elevado da UFMT servem pra quê?

Enganar os gringos?
Achar que todos são idiotas?
Burrice do marketeiro?
Silval pirou o cabeção!
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114