Artigos

Por um Mundo Melhor
Kharina Nogueira
Triste traste
Fernando Parracho
Injustiças na aposentadoria
Ruy Martins Altenfelder Silva
Ares da Arena
Francisco Faiad
Julier e o sal de bário
Jorge Maciel
» mais
Comentar           Imprimir
Justiça/Segurança
Segunda, 16 de julho de 2012, 07h06

Polícia Civil investe em ferramenta de inteligência investigativa


Uma das tecnologias mais modernas a serviço da Segurança Pública do Brasil, no combate a criminalidade, é utilizada pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso. O IDSeg, um conjunto de ferramentas com recursos para coletar, integrar e armazenar dados de diversas fontes em uma única base de conhecimento, foi adotado pela Diretoria de Inteligência da PJC.

A Polícia Civil de Mato Grosso mantém a versão mais atualizada do software, fabricado pela empresa Digítro, com 100% de tecnologia brasileira. O sistema é uma ferramenta que oferece agilidade na investigação, pois reúne uma série de informações que permitem pesquisas, análise de vínculos, georreferenciamento, construção de gráficos e textos.

De acordo com o diretor de Inteligência, delegado Marcelo Felisbino Martins, a ferramenta de inteligência investigativa está integrada ao sistema de monitoramento e interceptação de sinais “Guardião Web”, usado pela Polícia Civil do Mato Grosso na busca de provas qualificadas.

O IDSeg é utilizado por várias polícias judiciárias do Brasil e também é um dos módulos que está sendo considerado para emprego nos Centros de Comando e Controle (CCC) na identificação, acompanhamento e avaliação de ameaças reais ou potenciais, durante os jogos da Copa do Mundo 2014.

A ferramenta também está alinhada ao padrão de inteligência brasileiro e já é utilizada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e pode ser adotado pelo Sistema Nacional de Informações, instituído no último dia 4 de junho deste ano, pela Lei 12.681/2012. “O que coloca a Polícia Civil de Mato Grosso na vanguarda da integração nacional de informações”, avalia o diretor de Inteligência da Polícia Civil, delegado Marcelo Felisbino Martins.

A integração de bancos de dados, por meio do IDSeg, permite no curso de uma investigação criar gráficos de relacionamentos de alvos de uma operação. “Isso oferece um salto de qualidade no trabalho policial, dando mais agilidade nas investigações”, destaca o delegado Marcelo.

O conjunto de ferramentas de inteligência foi adquirido em 2011 e entrou efetivamente em funcionamento em julho deste ano, após várias capacitações de servidores que atuam na Diretoria de Inteligência e nos 19 núcleos de inteligência da Polícia Civil, instalados na capital e interior. O software também está disponível aos núcleos de inteligência, que já podem usar o recurso nas investigações desenvolvidas diretamente pelas unidades policiais.

O delegado geral, Anderson Aparecido dos Anjos Garcia, disse que a nova diretoria da Polícia Judiciária Civil vai intensificar projetos e otimizar recursos tecnológicos que auxiliam à investigação criminal. Um desses projetos é o GEA, um sistema de bancos de dados integrados que vai reunir softwares e equipamentos eletrônicos. “O IDSeg é um investimento de grande monta, vez que atenderá todos os núcleos de inteligência da estrutura policial. Todas as regiões do interior e delegacias especializadas do Estado possuem este acesso, centralizado dentro de nossa Diretoria de Inteligência”, destaca Garcia.  


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Os trilhos do VLT no elevado da UFMT servem pra quê?

Enganar os gringos?
Achar que todos são idiotas?
Burrice do marketeiro?
Silval pirou o cabeção!
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114