Artigos

Itsiwaihu, Maldonado...
Flávio Ferreira
61ª - A sentença daquilo que se plantô
Alessandra Rosa Da Silva Carvalho
Cassinos, impostos, família...
Alberto Romeu Pereira
Vinte e dois, querido?
Marcos Bidoia
Em defesa dos aposentados
Marcos Lemos
» mais
Comentar           Imprimir
Justiça/Segurança
Sexta, 10 de agosto de 2012, 10h31

Justiça vai intermediar negociação com prefeitura


O desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha será o intermediador da negociação entre o Sindicato dos Médicos (Sindimed) e a Prefeitura de Cuiabá com o objetivo colocar fim ao movimento grevista. Segundo o desembargador, essa é a nova postura que vem sendo adotada pela Justiça, de buscar meios alternativos para a solução de conflitos e, neste caso específico, garantir a manutenção do atendimento à população.

Na noite de segunda-feira (6 de agosto), o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha acolheu pedido de liminar em ação cautelar inominada impetrada pela Prefeitura de Cuiabá que pedia a manutenção de 100% do atendimento, colocando fim ao movimento paredista. Em caso de descumprimento, foi fixada multa diária de R$ 10 mil (Medida Cautelar Inominada nº 94.848/2012 – Cuiabá).

O magistrado recebeu em seu gabinete na manhã de ontem (9 de agosto) representantes do Sindimed e do Conselho Regional de Medicina (CRM), que procuraram o desembargador a fim de sensibilizá-lo sobre a greve. Os médicos alegam que mais do que reajuste salarial, o movimento tem por objetivo melhorar as condições de trabalho desses profissionais, em virtude do sucateamento e da falta de investimentos na rede pública de saúde.

Ao término da reunião, o desembargador solicitou uma reunião com o secretário municipal de Saúde, Lamartine Godoy, o prefeito de Cuiabá, Francisco Galindo, além dos representantes dos médicos, para buscar uma solução para o impasse. A expectativa é de que a reunião seja marcada ainda para esta sexta-feira (10 de agosto). O desembargador acredita que, nesses casos, um acordo, além de colocar fim ao conflito, colabora para desafogar o Poder Judiciário.

“Vamos tentar avançar nas negociações, já que as partes já tentaram outros mecanismos mas não conseguiram um acordo”, destacou o magistrado. Estiveram presentes no gabinete o vice-presidente do CRM, Arlan de Azevedo Ferreira, a presidente do Sindimed, Elza Luiz de Queiroz, a médica responsável pelo comando de greve, Eliana Siqueira Carvalho, além dos advogados do Sindimed Fernanda Vaucher e Bruno Álvares. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Cuiabá e VG comportam economicamente tantos shopping's?

Sim, porque atraem clientes.
Não e haverá risco de estagnação.
Poderá haver quebradeira no setor
Haverá público, mas não consumo.
Agregando atrativos (faculdade, hotéis) compensará.
Vamos ver daqui 3 anos.
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114