» mais
Comentar           Imprimir
Saúde
Sábado, 07 de outubro de 2017, 09h59

3º Campanha Nacional de Fissura Labiopalatina


.

"Eu fico muito feliz e aliviada com a realização da cirurgia na minha filha, pois o melhor é fazer o procedimento enquanto ela ainda é um bebê", conta feliz e ansiosa, Elizangela Maria de Arruda, mãe da Maria Elysa, de 8 meses, uma das 18 pacientes beneficiadas no mutirão de cirurgias da 3º Campanha Nacional de Fissura Labiopalatina. O Hospital Universitário Júlio Müller da Universidade Federal de Mato Grosso, administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (HUJM-UFMT/Ebserh), é parceiro da campanha que foi realizada esta semana em todo país pela ONG Smile Train, pela Fundação Ideah e pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

 

No HUJM a campanha teve início no dia 04 de outubro com a triagem dos pacientes e encerrou nos dois dias seguintes (05 e 06/10) com as cirurgias reparadoras. Apesar de não existir um consenso de qual a melhor idade para fazer a correção, alguns especialistas indicam que a operação da fenda labial seja feita entre três e seis meses, já o palato pode ser fechado entre 12 e 18 meses. "A campanha também é importante para a conscientização do uso do protocolo da idade correta para se ter um melhor resultado", esclarece o cirurgião plástico Celso Buzzo. "A melhor coisa foi fazer a cirurgia enquanto eu tinha apenas 2 anos, pois tive uma aparência e um fala melhor", conta Keine Martins, 31 anos.

 

Keine foi selecionada pela equipe do HUJM para fazer sua quinta cirurgia. O coordenador do Programa de Fissuras Labiopalatinas do Hospital, Fabrício Almeida, explica que a maioria das fendas pode ser reparada com cerca de três a cinco cirurgias, dependendo da fissura, para melhorar a capacidade da criança de comer, falar, ouvir e respirar. Esse tipo de tratamento exige um acompanhamento multidisciplinar que envolve ortodontia, pediatria, fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia e cirurgia plástica. Os profissionais que participam da cirurgia, precisam ter um conhecimento especializado no tratamento da fissura labiopalatina, então não é qualquer lugar que tenha condições de ter todos esses profissionais", destaca o cirurgião plástico, ao destacar um dos objetivos da campanha – o aprimoramento e o incentivo da qualificação na área.

 

Brasil

 

A campanha está acontecendo em 15 centros de tratamento brasileiros, com a estimativa de que 300 cirurgias plásticas sejam realizadas durante a semana que termina no dia 6 de outubro, Dia Mundial do Sorriso da Smile Train. Cerca de 4.300 mil crianças nascem a cada ano com fissuras no Brasil. Estima-se que no Brasil, a cada 700 nascimentos, 1 criança tenha essa condição. A fissura labiopalatina é uma má formação do lábio superior, que também pode atingir o céu da boca e resulta do desenvolvimento incompleto do lábio e/ou do palato, enquanto o bebê está se formando. Essa condição impacta não somente a fala, como também a nutrição e a respiração, levando o paciente a um isolamento social.

 

Serviço

 

Para ter acesso ao serviço oferecido pelo HUJM, o paciente precisa ser agendado via Central de Regulação, encaminhado por outros ambulatórios do Hospital ou através de contato telefônico com a equipe. Mais informações: 65- 3615.7224 ou pelo e-mail fissuras@hujm.ufmt.br

 

Ebserh

 

Único hospital público federal de Mato Grosso, o HUJM é administrado pela Ebserh, estatal do Ministério da Educação. A unidade conta com 118 leitos e é referência em vários serviços, dentre eles, ode triagem neonatal, atendimento as vítimas de violência, infectologia, oftalmologia e o Programa de Fissuras Labiopalatinas. 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você defende que a ferrovia passe por Cuiabá?

Sim, pois incrementará a economia.
Não, pois não temos produtos em volume necessários.
Indiferente
Outro problema como o VLT
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114