Artigos

Resiliência
Gabriel Novis Neves
Parabéns meus homens
Marcos Bidoia
SEMA! Descentralizar para preservar II!
Romildo Gonçalves
Parabéns, advogado(a) candidato(a)!
Leonardo Pio da Silva Campos
Falando de vitórias, ou ...
Marcos Bidoia
» mais
Comentar           Imprimir
Agronegócio
Quarta, 25 de julho de 2012, 07h54

Governo prepara leilão para compra de milho


Com a rentabilidade da soja em alta e o preço do grão batendo recorde na bolsa de Chicago, o governo teme que o milho fique em segundo plano na safra 2012/13 e deve lançar, nas próximas semanas, um contrato de opção de quase R$ 500 milhões para garantir a compra do grão.

O Ministério da Agricultura está preocupado com a falta de milho na região Sul e suas implicações para o segmento de carnes. A produção local foi duramente castigada pela seca na safra 2011/12 e o governo precisou intervir diversas vezes mandando milho da região Centro-Oeste para Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Por isso, o governo quer incentivar o plantio de milho já na safra de verão, sobretudo no Paraná, maior produtor de milho do país, onde os agricultores podem facilmente migrar para a soja. Também quer garantir que os produtores não deixem de plantar milho na safrinha do ano que vem. Os leilões devem ser anunciados já nas próximas semanas.

Com a ação, o governo pretende atacar em duas frentes. A primeira, de acordo com fontes do Ministério da Fazenda, é impedir que o provável aumento das exportações - decorrente da quebra da safra nos Estados Unidos - provoque uma escassez de milho no mercado interno. A segunda é dar tranquilidade ao produtor para vender sua safra, independentemente das variações de preço da commodity.

A evolução da safra americana é acompanhada de perto pelo governo. Caso a quebra se confirme, os preços na Bolsa de Chicago devem continuar a subir e estimular naturalmente o plantio. Caso contrário, a competição com a soja pode ficar mais desigual. "Ainda é cedo para dizer qual o tamanho da quebra nos EUA. Na dúvida, vamos lançar um plano para apoiar o produtor do Sul", afirmou uma fonte do Ministério da Fazenda.

O secretário de Política Agrícola da Agricultura, Caio Rocha, trabalha em um cronograma de atividades para que o produtor possa realizar o plantio de forma "eficiente", com custos competitivos, para que o governo não precise arcar depois com os custos de buscar milho em outros Estados. "O deslocamento do produto do Centro-Oeste para o Nordeste e o Sul representa custos, por isso precisamos planejar para ganharmos em competitividade", explicou o secretário.

A Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja) defende que a ferramenta será útil no Paraná, já que o segundo maior produtor de milho do país, o Mato Grosso, não cultiva o grão na safra de verão. "A safra americana quebrou em quase 80 milhões de toneladas. O preço vai continuar bom. O que o governo deveria estudar era o aumento da armazenagem no Mato Grosso para que produtores possam plantar milho na safra de verão", disse o presidente da Aprosoja, Glauber Silveira.

Fonte: Valor Econômico 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Quantos prefeitos-em chefe existem em Primavera do Leste?

Dois
Três
Cinco
É intriga dos adversários
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114