Artigos

Resiliência
Gabriel Novis Neves
Parabéns meus homens
Marcos Bidoia
SEMA! Descentralizar para preservar II!
Romildo Gonçalves
Parabéns, advogado(a) candidato(a)!
Leonardo Pio da Silva Campos
Falando de vitórias, ou ...
Marcos Bidoia
» mais
Comentar           Imprimir
Nacional
Domingo, 15 de julho de 2012, 11h57

Paraenses participam do Projeto Rondon para se tornarem multiplicadores de conhecimento


Belém – Os moradores dos municípios paraenses que participam das atividades do Projeto Rondon estão ajudando a multiplicar os conhecimentos adquiridos. O agente comunitário de saúde do município paraense de Curuçá José Roberto Souza da Conceição, 28 anos, recebeu orientações sobre saúde e aprendeu a cuidar melhor da alimentação. “Espero que [o projeto] aconteça várias vezes. Estou pegando as aulas com os professores para passar aos colegas e transmitir à comunidade."

Até o dia 22, 380 rondonistas, entre estudantes e professores universitários, participam como voluntários da Operação Açaí, no Pará. Eles desenvolvem atividades com comunidades carentes espalhadas pelo Brasil. A operação, que começou no último dia 6, abrange 19 municípios paraenses e conta com a participação de representantes de 38 instituições de ensino superior de nove estados e do Distrito Federal.

Para o guarda municipal de Curuçá Francisco Assis dos Santos Neto, 30 anos, as ações do projeto são uma oportunidade para ajudar na profissionalização dos moradores da cidade. O município não tem faculdades e nem cursos profissionalizantes. “As oportunidades aqui são poucas e quando aparece uma chance de se profissionalizar, enriquece o currículo. Aqui não temos esses cursos. Temos de sair do município e procurar Castanhal ou Belém, que já tem uma demanda maior.”

De acordo com o professor do Centro Universitário Internacional de Curitiba (Uninter) Jack de Castro Holmer, 27 anos, que está atuando no município de Bonito, o foco do projeto é formar multiplicadores nas comunidades. Além disso, apoiar na formação pessoal dos estudantes universitários. “Eles valorizam pequenas coisas. Para mim, o Projeto Rondon é isso: saber como resolver essas crises dentro do convívio dos universitários. Quando a gente volta, consegue aproveitar muito.”

A conselheira tutelar de Ipixuna do Pará, Lucimar Freire da Silva, 36 anos, também pretende repassar o conhecimento para os colegas. Ela participou assiduamente das oficinas e já aprendeu a oratória, a cuidar da refeição e como montar uma associação. “Está maravilhoso, não perco um dia. Fico ansiosa para vir. Como eu trabalho no conselho tutelar, tem muitas áreas que chamam a minha atenção em relação às crianças e aos adolescentes que aprendo.” 

(Fonte: Agência Brasil/Daniella Jinkings)


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Quantos prefeitos-em chefe existem em Primavera do Leste?

Dois
Três
Cinco
É intriga dos adversários
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114