» mais
Comentar           Imprimir
Geral
Quinta, 19 de outubro de 2017, 18h36

Presidente do TJMT visita Hospital de Câncer


Foto: Otmar de Oliveira
.

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Rui Ramos Ribeiro, visitou na manhã de hoje (19 de outubro), pela primeira vez, as dependências do Hospital de Câncer de Mato Grosso e, após constatar o eficiente trabalho desenvolvido pela instituição, assegurou que as parcerias atualmente existentes serão mantidas e, possivelmente, ampliadas. O convite para conhecer o trabalho desenvolvido pelo hospital foi feito pelo diretor presidente da instituição, Laudemi Moreira Nogueira.

Também participaram da visita, que incluiu um tour pelas dependências do hospital, o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho, e o procurador-geral de Justiça do Estado, Mauro Curvo.

“Essa é a primeira vez que venho aqui e verifico que o nível de estrutura, sob todos os aspectos, inclusive de Recursos Humanos, é espetacular. Muito se fala e coloca como referência Sorocaba e Barretos, mas esse hospital quero crer que poderia ser transformado rapidamente em referência, porque toda a preparação para que isso pudesse ser feito já está sendo feita. O que precisa é que nós percebamos isso e os poderes constituídos passem a trabalhar aliados nesse sentido. Não vai mais haver a necessidade de se encaminhar pessoas daqui para SP, por exemplo. Temos condições de fazer o tratamento aqui. Isso precisa ser conscientizado. Preciso fazer com que o senhor prefeito compreenda melhor, que o senhor governador compreenda melhor, que todos nós compreendamos o nível de trabalho que tem sido feito aqui”, pontuou Rui Ramos.

Ainda conforme o magistrado, as parcerias já existentes - a exemplo da destinação de verbas oriundas das transações penais realizadas no Juizado Especial Criminal de Cuiabá (Jecrim) e de doações feitas pelo Juizado Volante Ambiental – serão mantidas. “Nós também vamos ampliar essa parceria e o estudo começa hoje mesmo para que possamos colaborar, como todo e qualquer cidadão, para que tenhamos no Estado de Mato Grosso um atendimento que seja digno não só no plano técnico, mas no plano humanizado, para essas pessoas”, finalizou.

Além da recente parceria com o Juvam que culminou na doação de madeira para o hospital, que foi utilizada para a construção dos pergolados, o Hospital de Câncer mantém um convênio com o Jecrim. O Judiciário ajuda a instituição com recursos obtidos com a aplicação de penas alternativas – a chamada verba pecuniária. Somente em 2017 foram destinados R$ 147.292,65.

Segundo explica Laudemi Nogueira, o recurso está sendo utilizado em um projeto-piloto chamado “Cuidados Paliativos”, que visa atender aquele paciente que já não possui mais condição curativa. “Contratamos um geriatra e uma médica especialista em cuidados paliativos e montamos um atendimento que acontece toda quarta e quinta-feira à tarde. Atendemos em cada período 25 pacientes em tratamento no hospital. Também faz parte dessa equipe uma nutricionista, uma psicóloga, fisioterapeutas e, com esse recurso, também cedemos parte dos medicamentos e alimentos que essas pessoas precisam. Esses pacientes passam a ter uma vida com qualidade naquilo que lhe resta. Dignidade, ele não precisa padecer nesse período”.

O projeto teve início em abril e, desde então, já foram atendidos 253 pacientes. “Alguns saem de uma condição vegetativa, voltam a caminhar, passam a ter um convívio com a família de outro nível, com mais alegria. Isso proporciona autoestima. Ele não recebe o tratamento oncológico propriamente dito, recebe o suporte. Passa a receber nutrição mais balanceada, mais adequada, um tratamento psicológico e esses dois médicos têm formação justamente nisso”.

O diretor do hospital aproveitou a reunião para solicitar apoio dos poderes em uma nova empreitada: a construção da nova clínica médica do hospital, que permitirá que atendimento seja feito de forma mais humanizada. “A clínica atende aquele paciente que não é cirúrgico. Aquele paciente que já passou por cirurgia e o câncer retornou, então precisa de internato para fazer quimioterapia, radioterapia. Temos um projeto maravilhoso e o presidente da Assembleia já prometeu recurso para adequação do espaço físico”. O custo estimado para essa ação é de aproximadamente R$ 1,3 milhão.

O deputado Eduardo Botelho assinalou que, junto com o Poder Judiciário e Ministério Público, será possível melhorar os serviços que já vem sendo prestados pelo hospital. “Uma das coisas mais importantes é conhecer, ver o que temos aqui no hospital. Temos muita estrutura, muita condição aqui, e precisamos trabalhar juntos para ampliar esses atendimentos que já vêm sendo feitos”.

O procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, afirmou que já marcou uma reunião com a diretoria do hospital e os promotores que atuam nas áreas de patrimônio público, defesa da probidade administrativa e crimes contra a administração pública para buscar parcerias com a instituição. Na oportunidade, serão apresentados os projetos da unidade. “A gente já marcou uma reunião com a direção do Hospital de Câncer, que tem uma estrutura fantástica e pessoas extremamente capacitadas. A maneira que a gente encontrou foi marcar essa reunião para apresentação dos projetos do hospital aos colegas”.

Dados - Em 2016, o Hospital de Câncer realizou 76.073 atendimentos no ambulatório e 28.061 atendimentos nas campanhas de prevenção. Foram 4.654 internações, 2.000 cirurgias, 60.448 sessões de radioterapia e 14.329 aplicações de quimioterapia.
 


Comentar           Imprimir


Busca



Enquete

Você defende que a ferrovia passe por Cuiabá?

Sim, pois incrementará a economia.
Não, pois não temos produtos em volume necessários.
Indiferente
Outro problema como o VLT
  Resultado
Facebook Twitter Google+ RSS
Logo_azado

Plantão News.com.br - 2009 Todos os Direitos Reservados

email:redacao@plantaonews.com.br / Fone: (65) 8431-3114